Os 5 pilares de uma precificação para comércio bem-feita

precificação para comércio

Compartilhe nas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Descubra os 5 pilares para fazer uma precificação bem-feita no seu comércio a partir de agora!

Não fique “a Deus dará” quando a questão for precificação! Confira agora mesmo os 5 pilares para garantir preços competitivos no mercado e que tragam lucro para o seu comércio!

Como empreendedor, você sabe muito bem a importância de se estabelecer o preço certo para o produto certo destinado ao público certo, mas falar isso não é o bastante, pois “acertar a mão” nesse processo é uma tarefa muito mais árdua do que podemos resumir em algumas palavras rimadas.

Dessa maneira, você precisa estar atento à forma como elabora os preços do seu comércio, uma vez que eles definirão mais do que apenas os lucros da sua empresa, mas quem irá frequentá-la, por quanto tempo essas pessoas frequentarão o lugar, qual será o período necessário para que elas retornem e comprem novamente, entre outros fatores.

E no meio de tudo isso, a precificação se destaca por ter um papel fundamental e decisivo nessas e em diversas outras questões, portanto, “errar a mão” é um luxo ao qual você não pode se dar o prazer de fazer.

Por isso, hoje falaremos sobre os 5 pilares da precificação, o ponto de partida para todas as questões posteriores e o momento de definição para os caminhos que o seu comércio vai seguir.

E então, vamos lá? Boa leitura!

Os 5 pilares de uma precificação para comércios bem-feita

A precificação não é algo tão simples como pensar por cinco minutos e eleger um preço que considere razoável, pois é necessário estudar e considerar diversos aspectos, contudo, os que vamos citar são alguns dos que mais se destacam.

Saber quanto cada produto custa para o seu bolso

Estipular o preço de custo de cada produto é fundamental, e é a partir desse ponto que todas as demais considerações devem ser tomadas, pois ele é exatamente o valor que precisa ser investido para que o seu produto seja elegível para comercialização.

Nisso, vários aspectos precisam ser considerados, inclusive os secundários, como luz e água, que geralmente são esquecidos pelos empreendedores — mas não pelas companhias hídricas e energéticas.

Estipular uma porcentagem de lucro boa para ambos os lados

O seu público não é tolo e muito menos você, então, vamos combinar que o combinado não sai caro, não é?

Então, estabeleça uma porcentagem em cima do preço de custo que não seja injusta com o consumidor, mas, ao mesmo tempo, não te deixe na mão quando a questão são seus lucros com a comercialização do produto.

Saber o valor do produto para o seu público-alvo

A precificação lida com mais do que o que é necessário para disponibilizar um produto, mas, também, com o valor dele para os consumidores, que difere do preço, que é apenas uma quantia monetária.

O valor é o “algo a mais”, é o que aquele produto significa para o consumidor e a sociedade num geral, sendo assim, é algo que deve ser considerado no momento da precificação, uma vez que se você vender uma joia por um preço muito baixo, por exemplo, o comprador pode recusar a oferta por entender que não vale tudo o que espera de um item precioso.

Manter os produtos em estoque atualizados em relação às suas estratégias

Os estoques são peças-chave na precificação, pois os dias mudam, a sazonalidade existe, a demanda pelos produtos não é a mesma e você precisa saber de tudo isso — e como? Por meio do seu controle de estoque!

Para que suas estratégias funcionem, é necessário alinhar as movimentações no seu estoque com a realidade dos seus planejamentos.

Usar o psicológico humano a favor dos seus lucros

Por fim, não esqueça que está vendendo para seres humanos, por isso, o psicológico é algo que pode funcionar a seu favor — ou contra, se você não usar corretamente a precificação no seu comércio.

Assim como no exemplo da joia, existem outras questões psicológicas que podem te ajudar a vender, como, por exemplo, a estratégia de colocar 0,99 centavos ao invés de um valor inteiro, que parece baratear o item, apesar de ser o mesmo valor na prática.

E então, gostou do artigo de hoje? Deixe seu comentário sobre o assunto com dicas para outros donos de comércio!

Classifique nosso post post

Compartilhe nas redes:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Posts Relacionados

contabilidade para médicos

Contabilidade para médicos pode ajudar a reduzir os impostos

Considerando que a contabilidade para médicos é uma ferramenta de gestão, ela não pode ser negligenciada. Por isso, é importante contar com um suporte especializado em contabilidade para médicos, visto que isso será revertido em economia para o bolso. Contribuindo

Recomendado só para você
Os piores erros para reduzir custos que os comércios cometem…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top
Open chat