Entenda o fluxo de caixa e domine a gestão financeira da sua empresa de uma vez por todas!

Fluxo De Caixa

Compartilhe nas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Sem qualquer tipo de dúvida, você conhece o termo “fluxo de caixa”, afinal de contas, ele é uma das grandes bases utilizadas para fortalecer a gestão financeira e garantir que tudo esteja em ordem para que seu negócio possa crescer rápido e saudável.

Contudo, é fato também que mesmo sendo um termo muito difundido e muito discutido, poucos são os empresários que entendem de verdade o conceito e, consequentemente, a forma de aplicação que possibilite finanças bem geridas e capazes de, ao final do mês, proporcionar lucros em vez de prejuízos.

Portanto, para garantir a ordem entre seus ganhos, custos e despesas, resolvemos escrever este artigo que vai apresentar ponto a ponto o que é um fluxo de caixa, os motivos para que você o faça com excelência, bem como a importância que ele tem para o futuro da sua empresa!

Boa leitura!

O papel do Fluxo de Caixa na organização financeira

Em primeiro lugar, vale lembrar que, assim como dito antes, o controle de caixa é mais uma das muitas maneiras que, quando unidas, fortalecem a gestão financeira do seu negócio. 

Sendo assim, essa ferramenta gerencial garante as mais diversas possibilidades para a sua empresa, que vão desde a simples análise do faturamento até a disponibilidade de capital de giro e compreensão da situação geral do negócio, proporcionando, assim, um processo de tomada de decisão mais claro e assertivo.

Mas…

O que é, de verdade, um fluxo de caixa?

De maneira muito simples e didática, é uma metodologia de controle e análise financeira utilizada no âmbito das ciências contábeis. Dessa maneira, ele se refere diretamente aos valores monetários no caixa da empresa, estejam eles em processo de entrada ou de saída. 

Mas é preciso ter muito cuidado ao aplicar tanto os lançamentos em fluxo quanto os cálculos que validam, ao final do período, se houve lucro ou prejuízo, posto que existem diversos tipos de fluxo de caixa. 

Vamos conhecer todos eles e ver qual se adapta melhor à sua situação?

Fluxo de Caixa Operacional

Este representa as movimentações geradas pelo faturamento e as despesas da sua empresa durante um período de tempo determinado para a análise. Ou seja, ele apresenta tanto o apuramento quanto as variações obtidas no capital de giro.

Contudo, apesar de cumprir bem o seu papel, ele ainda tem falhas: não computa investimentos nem a necessidade de conseguir mais capital de giro.

Fluxo de Caixa Direto

Sendo um dos mais utilizados, ele registra receitas e pagamentos no âmbito organizacional sem que haja a inclusão de descontos de qualquer natureza e, dessa maneira, apresenta maior facilidade de apuração diária por categorizar cada informação de acordo com a sua natureza contábil (recebimento de consumidores, pagamento de tributos e etc.).

Fluxo de Caixa Projetado

Esse tipo de controle permite ao empresário a antecipação ao seu faturamento, bem como às suas despesas. Então, através de uma análise profunda dos pagamentos e recebimentos atuais, permite que haja uma projeção futura, garantindo, assim, maior conhecimento sobre a empresa e, é claro, um processo de tomada de decisões mais claro, objetivo e com menor incidência de erros.

Fluxo de Caixa Indireto

O Fluxo de Caixa Indireto tem como base o DRE (Demonstrativos de Resultados do Exercício), focando especificamente nos lucros e prejuízos do empreendimento, levando em conta questões econômicas, como a amortização, depreciação e outros.

Sendo assim, para que possa ser feito, não é necessário que o administrador tenha acesso direto ao fluxo, já que será possível basear a análise nos balanços patrimoniais que se referem ao início e fim do calendário.

Fluxo Livre

Utilizando como base o Fluxo de Caixa Operacional (o primeiro citado no texto), ele analisa a aptidão do negócio em relação à geração de capital em curto, médio e longo prazo. Portanto, sua compreensão depende diretamente de dois relatórios: a projeção de resultados compreendidas para os próximos 2 e 3 meses e um outro que o faça para o período de 2 a 5 anos.

Fluxo de Caixa Descontado

Este, conhecido pela sigla “FDC”, é utilizado principalmente nos momentos de compra, venda ou fusão de uma empresa, posto que avalia o valor do empreendimento de acordo com a possibilidade de retorno do investimento ou conseguimento de investimento externo.

Fluxo de Caixa com foco em Investimentos

Por último, mas não menos importante, essa modalidade da ferramenta gerencial permite o acompanhamento de todas as transações financeiras incidentes ao negócio com o objetivo final de validar um novo investimento, seja ele para a contratação de mais funcionários, criação de um filial ou expansão da gestão.

Simples de entender, não é mesmo?

Agora que você conhece todos os tipos de controle de caixa, é certo que não vai errar e conseguirá garantir o crescimento exponencial do seu negócio através de uma gestão simples, mas bem estruturada, que seja capaz de garantir a conquista de todos os seus objetivos.

Contudo, se quiser alcançar este nível ainda mais rápido, não basta apenas conhecer e controlar o seu fluxo de caixa, é necessário ter especialistas contábeis ao seu lado que possam te apoiar em todos os momentos do seu negócio.

Por isso, se estiver procurando uma maneira efetiva de crescer, fale agora mesmo com um dos nossos consultores! Basta clicar no botão verde que aparece no canto inferior direito da sua tela!

Estamos esperando por você.

Compartilhe nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Posts Relacionados

Recomendado só para você
4 pequenas práticas de gestão financeira que podem — e…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top
Open chat